SÓ UM DESABAFO

204

O Moto Clube de Torres Vedras preparou uma festa extra-Dia Nacional do Motociclista com o objetivo de criar condições para receber aqueles que vieram na véspera, dando-lhes ao mesmo tempo algum entretinimento e, obviamente, podendo também colher algum proveito com isso. Nada de mal nisto, muito embora tenhamos conhecimento de algumas críticas que apontavam estar-se a desvirtuar aquilo que foram sempre as cerimónias do Dia Nacional do Motociclista. Acontece que o Dia Nacional do Motociclista é sempre no domingo a seguir á Pascoa e aquilo que se passa na véspera apenas diz respeito ao clube local (quando existe) que colabora nas celebrações. Até agora houve sempre muito bom senso em matéria de festa na véspera das celebrações e isso voltou a acontecer este ano em Torres Vedras. O único senão talvez tenha sido a forma como essa festa foi anunciada pelo Moto Clube de Torres Vedras relegando quase as celebrações do nosso dia para segundo plano; ou seja, a informação que se passou levou a crer que o Dia Nacional do Motociclista se celebrava durante três dias, sendo que nos primeiros dois havia música e outros espetáculos e no último uma missa.

O ‘Padre Motard’ Zé Fernando celebra este ano 25 anos sacerdócio e por isso foi-lhe dada a honra de desta vez ser ele, por falta do Bispo local, a presidir ás celebrações religiosas tendo a seu lado a ajudá-lo o Padre Manuel.
Registe-se, entretanto, que é a 2ª vez que o ‘Dia Nacional do Motociclista’ é celebrado no Algarve e ao contrário do que acontece quando é celebrado no resto do país, o Bispo do Algarve não nos dignou uma vez mais com a sua presença…, obviamente, nada nos desmotiva nem demove de voltar a celebrar o nosso dia no Algarve; isto é simplesmente um desabafo e um reparo e assumo-o como responsável também pela organização das celebrações.
Ao longo destes 13 anos nem sempre foi fácil conseguirmos abrir as portas da Igreja; diga-se antes que em algumas vezes até foi bastante difícil… mas movem-nos valores inabaláveis como seja aquele que nos leva a crer que se há 2000 anos já houvessem motos tinham andado no médio oriente 12 motociclistas atrás do grande Mestre a espalhar uma nova mensagem de irmandade e fraternidade, ou seja, precisamente os mesmos princípios que gerem o espírito motociclista independentemente do credo ou fervor religioso de cada um.
Como lhe foi uma vez mais comunicado, quando do convite que lhe foi dirigido para presidir ás cerimónias religiosas, é disso, Sr. Bispo da Diocese do Algarve, que se trata o ‘Dia Nacional do Motociclista’.