Lusos totalistas nos ISDE 2019

As equipas portuguesas estiveram em plano de destaque nos ISDE 2019 realizados no Algarve

336

A jogar em casa pela terceira vez em 94 anos de história dos International Six Days, pela primeira vez desenhados no sul de Portugal, a totalidade das selecções nacionais cumpriram na integra a prova e fecharam sem abandonos as suas participações com resultados de destaque e que mostram a capacidade dos pilotos.

Numa era dos Seis Dias onde apenas os franceses conseguiram bater o pé a americanos e australianos, que venceram ambos por duas vezes nos últimos cinco anos, as cores portuguesas foram mais uma vez dignamente representadas por uma dezena de pilotos que trabalharam para levar as suas equipas até posições entre os dez primeiros em todas as três classes: Troféu Mundial, Troféu Junior e Troféu Senhoras, destacando-se no entanto o brilhante quarto posto dos Juniores, que não foi a melhor prestação de sempre pois em 2002 os Juniores lusos conseguiram a segunda posição naquela que foi a terceira vez que ficaram entre os cinco primeiros (em 2012 na Alemanha foram quintos) em década e meia de participações nos ISDE com a formação de pilotos mais jovens.

Sempre em crescendo a equipa composta por Tomás Clemente, Rodrigo Belchior e Manuel Teixeira subiu de forma sólida e consistente na classificação desde o 12º posto que ocupavam no final do primeiro dia de competição que transformaram em nono no segundo dia, sétimo no terceiro, quinto no quarto e finalmente ascenderam ao quarto posto no quinto dia, fechando a prova no primeiro degrau fora do pódio após ultrapassarem todos os obstáculos que encontraram ao longo dos 1500 quilómetros de percurso, muito exigente em especial a partir do terceiro dia com a chegada da chuva e as trialeiras de pedra na Serra de Monchique, tornando esta 94ª edição dos ISDE uma das mais duras dos últimos anos.

Ao mesmo tempo que os Juniores subiam a pulso na classificação os Seniores seguravam com todas as suas forças um lugar sólido entre os dez melhores e no final o nono lugar entre as 17 selecções foi um justo prémio para aquilo que fizeram Diogo Ventura, Gonçalo Reis, João Lourenço e Diogo Vieira, ultrapassando quedas e dias mais complicados para entregar mais um ‘top ten’ a Portugal naquela que é a prova mais antiga no calendário da Federação Internacional de Motociclismo.

As senhoras estiveram igualmente em nível elevado ao longo de toda a prova, elas também com maior ou menor dificuldade a conseguirem terminar a prova. Rita Vieira mostrou ser não apenas uma excelente piloto como igualmente uma hábil mecânica, trocando ao longo da semana de prova vários componentes na sua moto, desde o motor de arranque aos radiadores, efectuando igualmente os habituais procedimentos de troca de pneus e demais componentes. Numa selecção onde estiveram igualmente Bruna Antunes e Joana Gonçalves, a sexta posição voltou a mostrar que as meninas lusas têm cada vez melhor enduro e que poderão mesmo no futuro vir a surpreender ainda mais com lugares mais acima da tabela classificativa.

Um balanço extremamente positivo partilhado igualmente por Manuel Marinheiro, o presidente da FMP ‘…depois de uma semana tão exigente como esta foi muito positivo vermos todos os nossos pilotos a colocarem as suas motos no Parque-Fechado. Os Seis Dias são uma prova muito especial onde na actualidade se anda em ritmo ‘sprint’ desde o primeiro momento. Talvez as regras devam ser por isso ser alteradas, nomeadamente no que aos resultados diz respeito pois actualmente, e no caso dos Seniores, apenas os melhores três dos quatro pilotos a cada dia ‘contribuem’ para a equipa e deveriam ser os quatro pilotos a contribuir, pois como está estão a ser beneficiados os mais rápidos e não os resistentes e estrategas, como acontecia anteriormente. Os pilotos portugueses, tanto os das selecções como os dos clubes, mostraram mais uma vez a qualidade do enduro português no final de uma prova que levou pela primeira vez o melhor do enduro ao sul de Portugal. Estão todos de parabéns, lado a lado com a organização do AIA que colocou de pé um evento que colocou o Algarve na rota do enduro.’

A próxima edição dos International Six Days será realizada em Itália…será que demorará mais uma década a regressar a Portugal?

CLASSIFICAÇÕES

TROFÉU MUNDIAL

1º Estados-Unidos (Ryan Sypes/Kailub Russell/Taylor Robert/Steward Baylor) com 13h44m17.77s

2º Austrália (Matthew Phillips/Daniel Sanders/Joshua Green/Luke Styke) a 1m45.34s

3º Itália (Thomas Oldrati(Matteo Cavallo/Rudy Moroni/Davide Guarneri) a 12m37.50s

4º Espanha (Kirian Mirabet/Cristobal Guerrero/Tosha Schareina/Josep Garcia) a 16m53.05s

5º Finlândia (Eero Remes/Eemil Pohjola/Roni Kytonen/Aleksi Jukola) a 22m14.01s

9º Portugal (João Lourenço/Diogo Ventura/Diogo Vieira/Gonçalo Reis) a 49m08.60s

TROFÉU JUNIOR

1º Austrália (Michael Driscoll/Fraser Highlett/Lyndon Snodgrass) com 13h57m03.10s

2º Estados-Unidos (Joshua Toth/Ben Kelley/Grant Baylor) a 9m13.54s

3º Espanha (Marc Sans/Sergio Navarro/Pau Tomas( a 28m49.31s

4º Portugal (Tomás Clemente/Rodrigo Belchior/Manuel Teixeira) a 1h17m35.65s

5º Bélgica (Mika Vanderheyden/Erik Willems/Antoine Magain) a 1h23m09.30s

TROFÉU SENHORAS

1º Estados-Unidos (Rebecca Sheets/Brandy Richards/Tarah Gieger) com 10h17m02.79s

2º Alemanha (Seina Schittenhelm/Anne Borchers/Maria Franke) a 8m51.21s

3º Grã-Bretanha (Jane Daniels/Nieve Holmes/Rosie Rowett) a 18m55.73s

4º Suécia (Emelie Karlsson/Martina Remainder/Emilia Remainder) a 37m08.71s

5º Espanha (Mireia Badia/Aida Castro/Sandra Gomez) a 42m34.76s

6º Portugal (Rita Vieira/Bruna Antunes/Joana Gonçalves) a 54m06.21s