Alqueidão arrancou MX Ribatejo 2021

Chuva e lama trouxeram dificuldades acrescidas aos pilotos do MX Ribatejo.

596

A prova de entrada para a temporada de 2021 deu-se, realizou-se este Domingo, no Crossódromo do Alqueidão. Apesar da chuva forte e alguma trovoada durante o fim‑de‑semana, as inscrições revelaram 84 nomes para enfrentar o circuito ribatejano, fazendo deste início do campeonato Regional Centro/Sul um desafio acrescido para todos os envolvidos.

As primeiras classes a sofrerem com as dificuldades da pista foram as 50cc Livres, as 50cc Clássicas e as Femininas que só fizeram uma sessão de treinos. Como lhes era impossível enfrentar a lama existente, foi tomada a decisão de não realizar as respectivas mangas.

A tarde de corridas começou com a 1ª manga de MX2, onde Sérgio Pita, a regressar ao motocross depois de quase 10 anos de fora, tinha sido o mais rápido nos treinos cronometrados. O piloto de Ponte de Sôr liderou todas as voltas da manga inaugural e teve uma boa luta na 2ª manga com Luis Carreira, que tinha terminado no 4º posto na manga anterior. Gonçalo Santos fechou o pódio da classe, juntando os pontos desse mesmo lugar em ambas as mangas.

A classe de MX1 teve Diogo Patrício como primeiro líder, passando na frente nas três primeiras voltas até cair para 12º. André Marques aproveitou para comandar a corrida nas voltas seguintes, mas era Alexandre Cardoso quem viria a vencer, na frente de Leonardo Couto que fez uma corrida desde a ‘cauda’ do pelotão até vir a lutar pela vitória. Já na 2ª manga a luta foi entre André Marques e Luis Salustiano durante quase toda a sua duração, até que Ricardo Carvalho, que tinha ficado à porta do Top5 na 1ª manga, subiu ao 2º lugar na última volta. Micael Luis foi 3º nesta última manga, quando não tinha ido além do 7º lugar na 1ª manga. Assim, nas contas finais de MX1, André Marques saiu do Alqueidão com a vitória, com Ricardo Carvalho em 2º lugar e Alexandre Cardoso no degrau mais baixo do pódio, fruto de um 9º posto na 2ª manga da classe.