21º Portugal Lés-a-Lés: De Felgueiras à Figueira da Foz até ver o mar

Primeira etapa do Lés-a-Lés 2019 promete ser inesquecível.

3660

Com previsão de enorme adesão antecipada pelos mais de 500 participantes que garantiram o lugar na grande maratona logo no dia da apresentação oficial, as inscrições para o 21º Portugal de Lés-a-Lés já estão abertas online através do site da Federação de Motociclismo de Portugal (www.fmp.pt) e poderão ser feitas até 26 de Maio. Inscrições que, a manter-se o entusiasmo e a tradição, deverão terminar bem antes da data de encerramento e que podem também ser concretizadas presencialmente na sede da FMP – Largo Vitorino Damásio 3C Pavilhão 1, em Lisboa – entre as 10 e as 17 horas de segunda a sexta-feira. Quanto ao valor, rigorosamente idêntico ao de 2018, é de 200 euros com oferta do Cartão de Motociclista (25€), indispensável para a participação, enquanto os sócios dos motoclubes federados pagam 195€ e para aqueles que tiverem o cartão válido à data do evento o custo de inscrição é de 175€.

Ocasião para garantir um lugar na heterogénea caravana que, por questões de segurança e qualidade do evento apoiado pela BMW, BP, Dunlop, NEXX, Touratech e Agência Abreu, será limitado a 2000 motociclistas. Que, depois do Passeio de Abertura pelos mais inusitados e surpreendentes locais através do concelho felgueirense, cumprirão, no dia 10 de junho, a primeira etapa até à Figueira da Foz. Aventura mototurística na descoberta do litoral português na mais costeira das 21 edições do Portugal de Lés-a-Lés, que sai de Felgueiras rumo ao Atlântico atravessando os rios Ave, Cávado, Homem e Neiva e fazendo a primeira paragem em Vila Verde. Regresso ao litoral minhoto onde o Lés-a-Lés não andava desde 2006, com paragens na Praia Fluvial do Faial e Foz do Cávado, entre troços muito bucólicos e rocambolescos, alguns deles atravessados pela última vez na edição de 2014.

Primeira paragem junto ao mar em Esposende, seguindo a caravana pela Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Matosinhos, com travessia do Douro entre o Porto e Vila Nova de Gaia, através do tabuleiro inferior da Ponte Luiz I. Sempre junto à orla litoral, rumo à Murtosa, através de Espinho, Esmoriz e Furadouro, para descobrir a enorme biodiversidade da ria de Aveiro onde o rio Vouga se mistura com as águas atlânticas. Na Murtosa, tempo para reforço alimentar, com especialidades da região, juntamente com um dos mais bonitos percursos da primeira etapa da grande maratona. Para isso, a autarquia ’abriu portas’ de alguns troços da Cicloria, ao longo dos esteiros da Ria de Aveiro, entre Ovar e Estarreja.

Percurso pelo litoral na primeira vez que o Lés-a-Lés tem um final de etapa junto à foz do Mondego, com passagem por Estarreja, Aveiro e Costa Nova, e paragem obrigatória para fotografar os famosos ‘palheiros’, as casas de praia decoradas com listas verticais ou horizontais de cores vivas intercaladas com faixas brancas que foram armazéns de material de pesca ou da salga da sardinha. Segue-se a Praia de Mira, Vagueira e Praia da Tocha num dia que dará tempo ainda para apreciar a belíssima praia de Quiaios ou as imponentes vistas do alto da serra da Boa Viagem.

Para finalizar os 370 quilómetros a cumprir no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, sempre pelas mais pitorescas estradas nacionais e municipais e afastados das autoestradas, SCUT’s, IP´s ou IC’s, os participantes descem até à marginal da Figueira da Foz, desfrutando do enorme e belíssimo areal. Depois da subida ao palanque, tempo para descansar que a 2.ª etapa, até Arruda dos Vinhos promete mais emoções e mototurismo de qualidade.