Até Oia, pela arte e admiráveis terras de Cerveira

O Alto Minho voltou a receber o troféu de moto-ralis turísticos. Desde Vila Nova de Cerveira até Oia na vizinha Galiza, foi-se apreciando a vila, o rio Minho e a bela região visitada bem lá do alto junto ao Cervo e por fim a simpática vila de Oia banhada pelo Atlântico. Muitos foram os motivos que tornaram este fim-de-semana mototurístico memorável, abençoado pelo São Pedro!

141

A região do Alto Minho é sem dúvida uma das mais belas regiões do nosso país que merece ser esmiuçada no conhecimento e descoberta da sua rica cultura, história, gastronomia e das belezas naturais que nos enchem a alma e nos proporcionam, durante os moto-ralis, momentos únicos de puro mototurismo entre bons amigos. Os clubes anfitriões sabem como ninguém “desorganizá-los” e nos surpreender, como aconteceu uma vez mais durante esta 6ª jornada do 26º Troféu de Moto-Ralis Turísticos BMW/Dunlop FMP nos passados dias 16 e 17 de Setembro que contou com 68 participantes em 44 motos.

A partir do interessante centro histórico de Vila Nova de Cerveira, Vila das Artes que por estes dias expõe neste espaço, extraordinários trabalhos em crochet a revestir diversas peças bem características do dia-a-dia de outros tempos, deu-se o início apeado deste moto-rali internacional. Curta visita com as primeiras perguntas à descoberta do centro desta encantadora vila que sem dúvida merece que voltemos com mais tempo, para saber ainda mais sobre estas Terras de Cervaria!

De seguida, a sempre entusiástica e divertida caravana, foi até um dos polos maiores de atração turística local o Aquamuseu do rio Minho, onde é recriado todo o percurso do rio, espécies, tradições e actividades associadas. Para os mais atentos à visita, o jogo seguinte com paisagem soberba sobre o rio na Praia Fluvial da Lenta acabou por correr bem, já os outros…

Por percurso pitoresco a apreciar o rio, seguiu-se pela estrada chamada dos bêbados que de Valença a Cerveira lá vão tentando não serem apanhados pelas autoridades.

Muito se tem falado das inspecções às motos e para tirar dúvidas, a malta lá teve de passar por um centro. Ficou mais uma vez provado que não fazem falta, pois todas as motos passaram aprovadas sem qualquer anomalia e nenhuma teve de ir para abate, mesmo ali ao lado!

A interessante visita ao Núcleo Interpretativo dos moinhos da Gávea, deu a conhecer 5 moinhos muito bem recuperados e preservados pelo Sr Bessa, onde são tratados temas relacionados com a molinologia. Recomenda-se a visita!

Depois de se apreciar uma exuberante queda d’água, foi tempo do bem servido almoço em restaurante típico.

A tarde de Sábado continuava solarenga. Começou com a ida por troço de fora-de-estrada até ao Posto de Vigia do Alto da Pena e apreciar a partir deste local, um dos locais com maior altitude da região do Alto Minho, as fantásticas paisagens até à foz do rio Minho. Quem seguiu pela alternativa de estrada, foi apreciando também toda a região e Vila Nova de Cerveira até ao Convento de San Payo, fundado nos finais do século XIV e preservado pelo escultor José Rodrigues. Encontra-se em exposição diversas obras de arte que os mototuristas tiveram a oportunidade de contemplar.

Sempre por interessante trajecto, chegou-se ao fantástico Miradouro do Cervo, no Alto do Crasto onde está a escultura do Cervo inaugurada em 1985 em homenagem ao símbolo da vila. Noutros tempos os veados cobriam estas encostas férteis em pastos.

Depois da paragem no bonito e verdejante parque de merendas no Miradouro e Capela da Senhora da Encarnação, depois da passagem pela Porta aberta à natureza, subiu-se de novo a pé ao Miradouro do Espírito Santo, na Serra da Gávea, com o que resta da capela que nunca foi construída, a porta. De novo o deslumbre das vistas até à foz do Rio Minho. O São Pedro apareceu em força enviando uma valente chuvada. Não foi fácil para alguns descerem até às motos e seguir viagem.

O percurso seguiu em direcção a France de cá, entre muros, ruralidade e simpáticas aldeias, com passagem pela estrada do calvário até ao jogo seguinte bem divertido. Nada mais nada menos do que virar Picasso por momentos, a observar lá ao fundo o Cervo e pintá-lo enquadrado na paisagem. Quem tem jeito para a coisa e boa memória descritiva, acabou por fazer uns quadros interessantes. Digamos que os outros também não estiveram mal mas o melhor é mesmo não pegar no pincel!

O jantar sempre em ambiente festivo que decorreu na unidade hoteleira que também apoiou o moto-rali e que contou com a Vice-presidente da Câmara Municipal, deu a conhecer os mais regulares desta primeira etapa. A BMW patrocinadora do troféu, uma vez mais ofereceu os habituais vouchers para sortear. Por fim foi tempo de votar no melhor quadro do dia. A caravana dos moto-ralis afinal até pintores tem!

A noite continuou na Festival da Pizza, para quem quis ir até ao centro da vila.

Para o dia seguinte a ameaça da chuva forte acabou por não acontecer, o que ajudou a apreciar melhor o bonito trajecto delineado até Oia na Galiza. Com partida junto à estátua do Cervo, no centro de Vila Nova de Cerveira, a animada caravana seguiu pela curvilínea estrada da Gandara. Jogou, petiscou e visitou o imponente mosteiro medieval de Santa Maria de Oia, da Ordem de Cister e de longa história (1137 a 1835), para além da bela zona histórica da vila.

Bem junto ao caminho de Santiago, rumou-se ao monte de Santa Trega/Tecla em A Guarda. A meio da subida encontra-se uma citânia (castro), onde se estima terão vivido três mil a cinco mil pessoas, no século IV a.C.  Pormenores históricos que os moto-ralis turísticos do troféu tão bem dão a conhecer, enriquecendo o nosso saber!

Estamos em Espanha, gasolina bem mais barata e toca a abastecer, para depois voltar ao ponto de partida para a memorável foto de grupo, bem abençoada pela chuva que agora sim estava para durar. Afinal o São Pedro até foi amigo!

Em caravana seguiu-se para o merecido almoço de encerramento, durante o qual se conheceram os mais regulares do moto-rali e se ficou a saber também quem foi a pintura mais votada. A Filomena dos Motogalos sabe da poda!

O António Pinho e a Isabel Rangel foram os mais regulares e atentos desta 6ª jornada do troféu com o albufeirense António Jesus logo de seguida. Em terceiro lugar do “pódio” ficou o Vítor Olivença e a Ana Carina, também do MC Albufeira.

A Associação Clube Moto Galos de Barcelos está de parabéns por todo o empenho, simpatia e dedicação na realização do seu moto-rali, procurando e conseguindo proporcionar mais um excelente fim-de-semana mototurístico, pela bela e admirável região do Alto Minho!

A 7ª jornada do 26º Troféu Nacional de Moto-ralis Turísticos BMW/Dunlop da FMP-2023 sob o lema “A Água, o Xisto e o Fazunchar” vai decorrer nos próximos dias 7 e 8 de Outubro, organizado pela malta do Moto Clube de Coimbra.  Não percam!

Álbum de fotos: https://photos.app.goo.gl/r3dUewBiv9439yfh7

Artigo anteriorReflorestar com sensibilidade e bom senso
Próximo artigoEstoril com lutas intensas em fase de decisão de títulos nacionais