Moto-Ralis Turísticos: ‘Tá-se bem’ na Beira Baixa!

126

Pelos concelhos de Penamacor e Idanha-a-Nova, territórios fabulosos para viajar de moto, 104 participantes vindos desde o Minho ao Algarve, em 68 motos, deliciaram-se ao longo da rota desenhada pela parceria mais proveitosa do mototurismo nacional, a conjugação de esforços e neurónios do Góis M.C. e M.C. Covilhã.

Num ambiente e ritmo muito, muito relaxado, o Troféu de Moto-ralis BMW/Dunlop chegou a meio da época 2024 com esta 4ª jornada, já que os horários desta passeata previam banhos em albufeiras, rios e piscinas. Só que, apesar de já estarmos no verão, o sábado acordou sombrio, nevoeirento e ameaçador. Até provocou uma áurea mística em lugares altos como o castelo de Penamacor ou nas ruelas de Monsanto. Mas os mergulhos, só em águas de bacalhau… O tempo previsto para as brincadeiras aquáticas foi gasto em convívio e a espreitar com mais atenção os locais visitados.

Estes dois clubes organizadores têm um pacto curioso: cada um organiza uma etapa e o outro nem sabe o que está planeado. E no ano seguinte trocam. Este ano calhou ao Moto Clube da Covilhã idealizar o dia de sábado, que se estendeu por 125 km, do centro histórico de Penamacor até ao belíssimo turismo rural do Moinho do Maneio, no mesmo concelho.

Entre nevoeiros desceu-se da torre que ainda há dias recebeu o Lés-a-Lés, mas para agora nos retermos no Museu Municipal, com o seu espólio muito variado e mostrado de uma forma convencional. E daí fomos respirar a natureza do Parque Natural da Malcata, rolando na curiosa EN 332 que aí não é pavimentada. Agradavelmente surpreendidos por tantos e frondosos medronheiros e até alguns túneis de carvalhos negrais, os motociclistas curtiram nas margens da albufeira da Barragem de Meimoa. Com as habituais surpresas, jogos, perguntas e, claro, muita petisquice, a manhã passou rápido e num instante todos estavam à mesa, ao ar livre, nos relvados da Praia Fluvial do Moinho, em Benquerença.

A tarde levou-nos a Águas, terra da família Megre e onde pudemos recordar a vida do pioneiro português no Dakar, viajante aventureiro, cofundador de clubes dados a estas coisas e organizador das bajas mais emblemáticas de Portugal. É impressionante observar o azulejo com os traçados das viagens de José Megre pelo planeta Terra! Só não conseguiu visitar um país do Mundo: o Iraque! Incrível!
Por Medelim e Salvador chegamos então a Monsanto, numa ronda sem pôr o pé no chão pelos caminhos e quelhos pitorescos desta aldeia tão carismática e que agora se orgulha de ter sido cenário da série “A Casa do Dragão”.

Já com espaço suficiente para estacionar, a capela românica de São Pedro de Vir-a-Corça assistiu a um jogo de pontaria entre sobreiros centenários e penedos cobertos de musgos. Para nós, o vencedor foi o organizador/monge Nesk, por ter conseguido colocar um badalo num local tão difícil!
E lá fomos terminar o sábado ao tal Moinho do Maneio, quase uma pequenita aldeia de casinhas e moinhos recuperados de forma tradicional e bucólica nas margens do Rio Bazágueda. Obra deliciosa do casal motociclista Rui Marcelo e Anabela Almeida.

Aqui esperava-nos mais um jogo de pontaria e… petisquice, claro. No relax dos espaços verdes à sombra de alpendres e freixos. Um autêntico ‘sunset’. Obrigado.

Ao jantar, já no hotel, soubemos as respostas corretas às muitas questões do dia, apercebemo-nos que o M.C. Albufeira jogava em equipa e começava a dominar os lugares cimeiros da classificação e, com um excelente jogo de cultura geral e motociclística, os participantes ficaram pregados às mesas ainda mais um bom bocado.

Domingo: Sol! Mas poucos quilómetros (47) sob a batuta do Góis MC, que nos levou de novo para o concelho de Idanha-a-Nova, numa manhã passada quase em exclusivo na histórica Egitânia, a atual Idanha-a-Velha, onde, a pé, se procurou respostas pelas muralhas, sé, pelourinho e margens do Pônsul. Também se passou à terra do Tarzan Taborda – Aldeia do Bispo – e se deu uma vista de olhos aos adufes no altar da Senhora do Almurtão até, já na sede de concelho, se tirar a foto de grupo ao lado da Câmara Municipal.

Já à mesa, e antes das despedidas, palavras de agradecimentos e o confirmar das classificações. O Moto Clube de Albufeira arrebatava o top 5 e punha nove equipas nos treze primeiros lugares! Os algarvios estão como o aço!
O Vítor Olivença e Ana Carina foram os mais regulares (e lá vão disparados à procura de novo troféu), secundados pelo João Aleixo e Alexandra e Alexandre Mendes e Sónia.
Muitos parabéns à organização – que nos deixaram com água na boca para 2025 – e aos participantes pelo excelente ambiente vivido.

Agora venha a 4ª edição do moto-rali turístico do clube MK Makinas que nos levará de novo à sua região centro, desta feita no concelho de Mortágua. Será já a 13 e 14 de julho e as inscrições podem ser feitas por aqui:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc6aG-JgW1V8VwUKEcRQj07hO3HYwXznXsyQpX_DX7vesi4Ng/viewform

Álbum com 245 fotos: https://photos.app.goo.gl/X7jR5s38umsBf29A6

Classificações: https://www.fmp.pt/r-mototurismo/mt-classificacoes/ 

Artigo anteriorAção em Aveiras de Baixo!
Próximo artigoFaleceu Paulo Pinheiro