Dakar 2024 com sete portugueses

Sete pilotos alinham na partida de mais um Dakar em solo saudita

855

Com arranque marcado para o próximo dia 5 o Dakar 2024 volta a contar com presença portuguesa no pelotão das duas rodas. No total serão sete os pilotos lusos que vão novamente levar as cores nacionais até à mais exigente prova do TT mundial.

Mesmo competindo com bandeira alemã Sebastian Buhler nasceu e cresceu para o motociclismo em Portugal e será um dos pilotos da ‘armada lusa’. Mais uma vez aos comandos da Hero oficial será um dos três lusos ‘oficiais’ em prova, juntamente com Joaquim Rodrigues Jr. e Rui Gonçalves, o primeiro igualmente com as cores da Hero e Rui Gonçalves com a Sherco. Buhler foi 20º no passado ano no final de uma prova onde tanto Joaquim Rodrigues (queda na quarta etapa) como Rui Gonçalves (problema mecânico na sexta etapa) abandonaram de forma inesperada.

Juntamente com os oficiais estará pela quinta vez em prova António Maio, ele que também abandonou no passado ano e quer vingar essa ‘derrota’. Mário Patrão será outro dos lusos em competição e depois de dois anos no pelotão dos pilotos sem assistência, o piloto de Seia foi convidado pela Honda para testar e avaliar uma nova CRF e estará pela primeira vez em prova aos comandos de uma moto da marca japonesa e com objectivos distintos do passado ano quando foi terceiro nos ‘Mallet Moto’ e o melhor dos veteranos.

Do Algarve para o Dakar regressa Alexandre Azinhais após um ano de ausência. 66º em 2022 o piloto de Albufeira está no Dakar pela terceira vez e quer acima de tudo terminar no dia 19 esta aventura, o mesmo se passando com Bruno Santos, o vencedor da Baja de Portalegre que será o único estreante no pelotão nacional. Forçado a ficar de fora no passado ano devido a uma lesão o piloto de Torres Vedras quer terminar e descobrir ao máximo o Dakar.

Com um pelotão composto por 134 motos a prova terá um total de 12 etapas, quase oito mil quilómetros de percurso dos quais 470 serão cronometrados.

Artigo anteriorPaulo Alberto domina Enduro Sprint nas areias de Pataias
Próximo artigoEnduro: um ano em cheio!