Lusos superam Dakar 2022

Após duas semana de competição o Dakar terminou hoje na histórica cidade de Jeddah.

256

Após intensas e exigentes 12 etapas terminou hoje em Jeddah na Arábia Saudita a 44ª edição do Dakar. No seu terceiro ano de passagem pelas exigentes pistas árabes a prova ficou mais uma vez marcada pela excelente prestação conseguida por todos os pilotos portugueses que aceitaram o desafio de competir nos 8177 quilómetros de prova, dos quais 4258 foram cronometrados. Hoje foram cumpridos os derradeiros 516 quilómetros cronometrados, dos quais 164 foram discutidos debaixo da implacável lei do cronómetro.

Com uma vitória e outros dois pódios assinados por Joaquim Rodrigues e Rui Gonçalves, a bandeira nacional esteve em destaque ao ver Mário Patrão ser igualmente o vencedor entre os veteranos – pilotos com mais de 45 anos – no final de mais uma fantástica participação assinada pelo piloto de Seia. Mas Patrão – que fechou a corrida na 42ª posição da geral – não foi o único a destacar-se pois também António Maio fechou este Dakar numa fantástica 21ª posição, três lugares na frente de Rui Gonçalves que se mostra cada vez mais rápido e adaptado a este tipo de competição.

Alexandre Azinhais subiu hoje ao palanque de encerramento da prova na 69ª posição, Arcélio Couto foi o 80º, Bianchi Prata o 105º e Paulo Oliveira o 116º.

Globalmente o Dakar foi ganho pela segunda vez por Sam Sunderland na frente de Pablo Quintanilla e Matthias Walkner.

Joaquim Rodrigues

‘Extremamente satisfeito por estar aqui! Estou mesmo muito feliz com a minha performance – foi um grande Dakar para mim e para a equipa. Com a fantástica performance da minha Hero Rally 450 estamos a lutar pelas primeiras posições. A minha vitória desta vez foi mesmo a cereja no topo do bolo e não consigo expressar a alegria pessoal e pela equipa que sinto ao terminar mais um Dakar.’

António Maio

‘Estamos em Jeddah onde está instalado o pódio do Dakar 2022. A especial correu bem, mas estava muito perigosa. Assim, optei por não arriscar porque tinha mais a perder que a ganhar. Conseguimos cumprir o objectivo que era terminar a prova e agora vamos fazer o pódio merecido. A mota está impecável e foi uma excelente corrida. Agradeço a todos os patrocinadores que tornaram este sonho possível. Quero também deixar um enorme abraço à minha família e amigos que tanto me ajudaram a conquistar mais este objectivo.’

Mário Patrão

‘Estou super feliz! Concretizei o sonho há muito adiado de participar na categoria original by motul. Queria levar-me ao limite e provar que por mais lesões/adversidades, a minha persistência, garra e vontade estão cá! Foi duro, mas gratificante. Honrei os meus patrocinadores, o meu país e os meus fãs. Foram meses de preparação, de deixar de lado muitas coisas, que só foram possíveis porque tenho uma estrutura profissional e ambiente familiar super estáveis sempre do meu lado. Sou fruto do investimento que os meus patrocinadores fazem e a eles dedico esta medalha. É hora de regressar que as saudades de casa já são muitas. OBRIGADA!’

Classificação Final

14º Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) a  – 1h15m44s

21º António Maio (Yamaha) a 2h45m43s

24º Rui Gonçalves (Sherco) a 3h13m25s

42º Mário Patrão (KTM) a 9h01m03s

69º Alexandre Azinhais (KTM) a 15h06m56s

80º Arcélio Couto (Honda) a 17h04m34s

105º Bianchi Prata (Honda) a 25h52m01s

116º Paulo Oliveira (Honda) a 47h03m29s

Artigo anteriorPrimeira baixa no Dakar, novo pódio de Rodrigues
Próximo artigoCalendários Velocidade definidos para 2022