Marco Díaz vence após abandono de Matos

Pedrinho Matos desistiu na última volta de uma corrida que dominou

102

Marco Díaz estreou-se a vencer esta época depois do verdadeiro balde de água fria que foi a desistência de Pedrinho Matos.

Pedrinho Matos voltou a estar um nível à parte da concorrência neste domingo, garantindo a pole por larga margem e isolando-se na liderança da corrida logo na primeira volta para, tal como ontem, não demorar tempo a ficar totalmente sozinho na frente e longe do campo de visão de qualquer outro piloto.

Contudo, quando já todos começavam a festejar a que seria a sexta vitória consecutiva da época, um problema levou Matos a parar na Curva 1, no início da última volta, quando levava já uma vantagem de 49,7 segundos.

Assim, aquela que foi durante toda a corrida a luta pela segunda posição, uma vez mais entre Marco Díaz, Lourenço Vicente e Alexandre Cabá, acabou por se tornar, sem que nenhum deles o esperasse, na luta pela vitória. Aliás, a título de resumo basta dizer que ao longo das 10 voltas, apenas numa não houve troca de posições entre os três.

Díaz, ao contrário de ontem, foi quem começou melhor dos três, assumindo a segunda posição, mas por pouco tempo. À segunda passagem pela meta era quarto, com Vicente a assumir o controlo do trio enquanto Cabá ficava entre os dois.

Nova passagem pela meta, e nova troca, agora com Díaz a encetar a recuperação para regressar à liderança do trio após breve estadia na segunda posição. Era também por esta altura que Cabá subia na classificação, atirando Vicente para quarto. Contudo, as coisas voltaram a sofrer alterações na volta seguinte, com Vicente a ganhar protagonismo, mas não por muito tempo, já que logo e seguida Cabá impôs-se para aquelas que foram as duas únicas voltas em que a ordem da classificação na frente da corrida não sofreu qualquer alteração.

Terminado o “intervalo” na luta pelas posições pódio, Vicente e Díaz destronaram Cabá, com este último a salta para a frente do grupo na penúltima volta. Daí até final, e com a desistência de Matos, Díaz teve caminho limpo para se estrear a vencer com uma margem de 0,252s sobre Vicente e com Cabá a fechar o pódio a 0,296s do primeiro, o que atesta bem o que foi a luta entre os três ao longo de toda a corrida.

Artigo anteriorBogdanov fez o pleno no Estoril
Próximo artigoRego vinga-se e assegura triunfo na Copa Dunlop Motoval