Lés a Lés 2017: Toneladas de recorde

522

Nunca o Portugal de Lés-a-Lés foi tão grande! A maior maratona mototurística da Europa com quilometragem total cumprida por toda a caravana que ultrapassa os três milhões de quilómetros (!), promete ser ainda maior. Gigantesca mesmo!

Naquela que ficará conhecida como a edição de todos os recordes e a primeira realizada em 4 dias, começa exatamente com um dos pontos altos do ano. ‘Animação de peso’ logo no primeiro dia, após as Verificações Técnicas e Passeio de Abertura mas antes do jantar, onde todos os participantes vão participar no Arrastão da Grande Pedra (19 h.), tradição milenar recuperada pela Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, rebocando enorme bloco granítico com mais de 12 toneladas. Presença ‘obrigatória’ para todos os motociclistas naquele que será um dos primeiros dos 18 controlos previstos na tarjeta que atesta o cumprimento integral do percurso (e desafios…) deste 19.º Portugal de Lés-a-Lés.

Novidade de peso confirmada durante o reconhecimento do percurso em condições reais, levado a cabo pelos elementos da Comissão de Mototurismo da Federação de Motociclismo de Portugal e que permitiu acertar outros pormenores. Como os horários, sendo que nas duas primeiras etapas os participantes começarão a sair de Vila Pouca de Aguiar e do Fundão às 6 horas, chegando ao final das tiradas (Fundão e Elvas) por volta das 17 horas. Na derradeira jornada, onde o cansaço já deverá ser bem maior, saída às 7 h. e chegada ao Jardim Manuel Bívar, bem no centro de Faro, a partir das 16.30 h. Novidade é também o concerto dos Íris, banda algarvia com vasto reportório de Rock & Roll e Heavy Metal, naquele local onde será também servido o jantar final.
Por falar em horários, nota para a alteração de procedimento nas refeições, com ordenamento para o jantar em função do número de equipa. Assim, para evitar grandes aglomerados e permitir que todos jantem tranquilamente, as equipas do número 1 a 250 terão entrada nos ‘restaurantes’ às 19 horas, enquanto até ao 500 entrarão uma hora depois e da equipa 501 a 750 jantarão a partir das 21 horas, em grupos diferenciados pela cor das pulseiras.
Na mais concorrida edição de sempre também a maior adesão autárquica, com apoio direto de 15 Câmaras Municipais, lista a que se juntou mais recentemente Vila Velha do Ródão, salientando-se ainda o apoio de muitas juntas de freguesia como Monsaraz, Santo Aleixo da Restauração ou Vila Verde do Ficalho, de grande importância na travessia pelo Baixo Alentejo.
Isto numa etapa, a segunda entre Fundão e Elvas, onde o calor alentejano e as paisagens quase desérticas, serão amenizados nos diversos Oásis, montados em locais fabulosos, incluindo várias praias fluviais. Onde o tempo até permitirá um mergulho, num passeio pensado para ser ainda mais calmo e relaxado, com tranquilidade para apreciar as magníficas paisagens de Portugal e honrar a História com paragens em locais ímpares através da sempre bonita zona raiana.

Artigo anteriorMx: Europeu e Nacional estiveram na Guarda
Próximo artigoLés a Lés 2017: Lista final de participantes