Rui Gonçalves venceu em Águeda

Rui Gonçalves foi o vencedor da penúltima paragem do ano.

201

A entrar na sua fase final o campeonato nacional de enduro realizou no passado Domingo em Águeda aquela que foi a sua penúltima paragem do calendário deste ano 2022 e que contou com 186 pilotos em prova.

Um dia de competição numa das regiões com maior tradição na modalidade e de onde são oriundos muitos dos nomes importantes da história da modalidade, como Rui Lemos ou Jorge Silva, sem esquecer a centenária Macal que durante tantos anos se destacou no pelotão das competitivas 50cc.

Liderado por Luis Oliveira o campeonato ‘encontrou’ um novo vencedor no final de um bem competitivo onde Rui Gonçalves subiu pela primeira vez este ano ao pódio após bater na derradeira especial o italiano Morgan Lesiardo, seu colega de marca, ficando ambos separados por apenas menos de seis décimas de segundo.

Com uma dúzia de especiais em agenda seguindo o habitual formato de todas as provas do campeonato nacional, quem arrancou na frente foi o líder do campeonato, Luis Oliveira vencedor da primeira especial face a Morgan Lesiardo e Henrique Nogueira. Na primeira passagem pela Enduro Test foi Nogueira quem reagiu e venceu para subir ao segundo posto na frente de Rui Gonçalves, ambos em sentido ascendente e contrário a Lesiardo que desceu três posições para o quinto posto.

A fechar a primeira volta nova viragem nos seguidores de Luis Oliveira, que continuou a ser primeiro após a Cross Test. Uma especial onde Rui Gonçalves ‘puxou dos galões’ e se tornou no terceiro vencedor do dia para subir ao segundo posto na frente de Diogo Ventura, que subiu de oitavo após a primeira especial para terceiro no fecho da volta inaugural. Henrique Nogueira desceu ao quinto posto e Morgan Lesiardo era agora quarto, ele que venceu a primeira especial da segunda volta e continuava a não existir nenhum piloto que conseguisse dobrar vitória numa especial, algo que ele contrariou na especial seguinte ao ser de novo o primeiro.

Luis Oliveira continuava a ser o comandante da geral no fecho da primeira metade da prova – onde Rui Gonçalves voltou a vencer no cenário onde em 2009 venceu o GP de Portugal de MX2 – e eram quase nove os segundos que o piloto de Belas tinha de vantagem para Lesiardo. Só no início da terceira volta é que Luis Oliveira perdeu a liderança fruto de mais uma especial conquistada por Lesiardo, que assumiu a liderança com quase dez segundos de vantagem sobre Oliveira e foi com pouco mais de seis segundos e meio de vantagem que entrou para a derradeira passagem pela Cross Test face a Rui Gonçalves – que passou Luis Oliveira na passagem anterior pela mesma especial – e foi no final de um duelo memorável que Rui Gonçalves ascendeu mesmo ao primeiro lugar com uma diferença de apenas 00.56s, terminando Luis Oliveira no degrau mais baixo do pódio na frente de Diogo Ventura e Gonçalo Sobrosa.

Contas feitas Rui Gonçalves venceu igualmente na Elite 2 e Luis Oliveira na Elite 1. Na Open foi Frederico Rocha o primeiro na classificação geral e Open 1, com Bruno Charrua a ser o melhor na Open 2. Fábio Costa venceu a geral dos Verdes e a Verdes 1, Nuno Pereira venceu a Verdes 2 e Ricardo Mendes ‘acertou em cheio no coração’ da vitória na Verdes 3. Gil Carmo bateu a concorrência nos Veteranos, Rita Vieira nas Senhoras, João Rato na Promoção, Paulo Miranda nos Super-Veteranos e Fábio Costa na Youth Cup.

A próxima prova do campeonato será a de todas as decisões com dois dias que irão levar a caravana até Valpaços nos dias 18 e 19 de Junho.

Artigo anteriorEnduro chega a Águeda
Próximo artigoO regresso do trial