Engordar, rir e conhecer com os Conquistadores

Em mais um “moto-rali das folhas caídas” o Conquistadores Moto Clube de Guimarães voltou a fechar mais um Troféu BMW/Dunlop e desta vez para enorme comitiva de 200 participantes em 125 motos

56

170 km muito metropolitanos entre a sua cidade berço e a rival de Braga deram a conhecer bem melhor a região fabril do Vale do Ave e pormenores rurais e bucólicos que vão sobrevivendo numa zona fabril e industrializada. Mas o que ficou na retina foi a festa constante de inúmeras paragens para encher a pança, as surpresas e brincadeiras à boa moda de um moto-rali turístico!

As Bodas de Prata do mais turístico troféu da FMP tinham de encerrar com chave do mesmo metal precioso. Os Conquistadores de Guimarães sabem cativar e estão sempre a inventar. Desta vez, a tarde de sábado terminou com um Baby Shower (está bem escrito?) pois uma das habituais meninas da desorganização está de esperanças…

E o fim de semana, brindado com sol de outono, levou-nos a percorrer os quelhos de 7 concelhos: Guimarães, Vizela, Felgueiras, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Braga e Vila Verde, orientados por longo, preciso e informativo road-book. Regra geral por caminhos desenfiados, rurais, pouco utilizados e mais interessantes. Também se atravessou terras importantes como Moreira de Cónegos, mas foi em Vizela que os autarcas locais nos honraram nos Paços do Concelho. Foi em Barrosas que vimos uma das mais espantosas coleções de motos antigas de Portugal. Uma autêntica caverna de Ali Babá onde as 1000 (mil!) motos de José Pereira fazem abrir a boca a qualquer um. Não tiramos fotos respeitando o pedido do proprietário. Com muita pena nossa pois não se consegue descrever em palavras o vastíssimo património exposto em salão bem iluminado, com motos, ciclomotores, bicicletas e side-cars que em vida útil foram utilizados para todos e mais qualquer um serviço, desde o militar ao dia-a-dia. Impressionante! Foi nas margens do Ave que conhecemos o Parque de Lazer de Gondomar e foi pouco adiante que fizemos a festa aos futuros papás, rodeados dos automóveis de competição do piloto Renato Piairo com que sobe os 5,2 km da Falperra em dois minutos e meio! Foi em Vila de Prado que três sexys “carrascas” um carrasco acorrentaram os participantes ao pelourinho, Foi em Tibães que se coscuvilhou o mosteiro, foi na sede do MC Black Dog que se atiraram machadas, foi em Fafe que se subiu aos melhores miradouros e foi pelas terras de Póvoa de Lanhoso que se oxigenou nos melhores carvalhais. E foi um pouco por todo o lado que se engordou muito, muito mesmo!

Com quartel general no frondoso parque do Bom Jesus, Braga ficou na retina deste evento, já que se andou um pouco por toda a cidade, desde o Estádio do Sporting de Braga à Sé.

Que será ponto de partida para 2023.

Nesta passeata em que conhecemos os stands Motofundador e Normoto e ainda fomos surpreendidos com romanos, lavradeiras minhotas, cubanos e adeptos dos arsenalistas do Minho, Hélder Lima, Nuno Cunha e Catarina, José Augusto e Júlia, todos do clube da casa, foram as três equipas mais atentas e regulares do moto-rali.

E como este foi o derradeiro de 2022, a FMP entregou os prémios aos melhores do ano. Vítor Olivença, do MC Albufeira sagrou-se tetra vencedor do Troféu BMW/Dunlop, com 109 pontos. Com 90 e do mesmo clube algarvio, ficou João e Carla Krull. E finalmente, em terceiro lugar, Iliana e Hélder Alexandre, de Fátima, com 75 pontos.

Com 70 presenças, o clube mais participativo voltou a ser o CMC Guimarães, seguido do MC Albufeira e Motards do Ocidente com 35 e 32, respectivamente.

As equipas mais participativas deste 25 troféu foram os totalistas Paulo Anjos e Tiago Arsénio, ambos do Vespa Clube de Lisboa, desempantando pela quilometragem feita. E parabéns a todos os que fizeram de 2022 uma grande festa turística, cultural e divertida!

Artigo anteriorMundial Side Car Cross regressa a Portugal
Próximo artigoFIM Europa reunida em Roma