Bautista abriu Estoril a vencer

O Estoril recebeu a terceira prova do mundial Superbike.

171

O Campeonato do Mundo de Superbike MOTUL FIM chegou ao Estoril e foi absolutamente emocionante com Álvaro Bautista a conquistar uma vitória impressionante depois de luta épica com Toprak Razgatlioglu e Jonathan Rea durante toda a corrida. Bautista garantiu a primeira vitória da jornada no Estoril e aumenta a liderança no Campeonato.

Razgatlioglu fez um bom arranque, partindo de segundo na grelha para liderar na curva 1 com Rea em segundo e esta foi a antecâmara do que estava para vir durante as 21 voltas ao traçado português. A dupla trocou de posição consistentemente ao longo da corrida, com a curva 1 a revelar-se o ponto de superação entre os dois, com nada menos que oito ultrapassagens entre Rea e Razgatlioglu entre a volta 6 e a volta 16.

A curva 6, na volta 3, ficou marcada por um contato entre os dois sem impedir que ambos pudessem continuar em pista e a batalha continuou. Havia diferentes estratégias de pneus na grelha, com Rea a optar por um pneu traseiro padrão SC0 da Pirelli e na dianteira pelo SC1, enquanto Razgatlioglu e Bautista escolheram o padrão SCX (traseiro) e o padrão SC1 (dianteiro).

Com a dupla a correr sempre em linha, o piloto em segundo lugar usou muitas vezes o cone de ar na longa reta do Estoril para assim assumir a liderança na travagem para a curva 1. A dupla trocou de posições várias vezes ao longo da corrida na busca da vitória para diminuir a diferença na classificação do Campeonato para Bautista. Após 8 trocas de posição entre os dois, acabou por ser um erro de Rea nos momentos finais que permitiu a passagem de Bautista.

Na 16ª volta, Bautista aproveitou o facto de Rea ter alargado a trajetória enquanto tentava passar Razgatlioglu por fora, para assumir o segundo lugar deixando Rea no terceiro posto. Rea perdeu tempo para Bautista e Razgatlioglu, deixando o duelo final para estes. Esta batalha durou até à linha de meta com Bautista a superar Razgatlioglu por uns curtos 0,126s depois de ter conseguido sair melhor da parabólica do Estoril.

A vitória de Bautista fica para a história como a 20ª nas SBK e a quarta nesta temporada, ampliando a liderança no Mundial para 27 pontos sobre Rea e 50 sobre Razgatlioglu. Foi também a 380ª vitória da Ducati nas SBK. O segundo lugar de Razgatlioglu deu-lhe o 59º pódio nas SBK mantendo o recorde de 100% de pódio no Estoril; o único piloto a ter esta estatística. O terceiro lugar de Rea deu-lhe o seu 221º pódio nas SBK e o seu 179º com a Kawasaki.

Andrea Locatelli assegurou o quarto lugar depois de beneficiar da saída larga de Bautista na curva 1 na primeira volta, o que o colocaria numa luta renhida com o espanhol pelo terceiro lugar. Mas apenas até Bautista ultrapassar Locatelli na volta 5, antes da curva 1, impondo a potência da Ducati e deixando o italiano no quarto posto da classificação onde permaneceria até ao final, à frente de Xavi Vierge e do companheiro de equipa Iker Lecuona.

Vierge ultrapassou Lecuona já nos momentos finais da corrida para se estrear no top 5 das SBK, terminando apenas um décimo à frente do companheiro de equipa. A dupla lutou com Scott Redding – que correu com uma decoração especial a comemorar o 50º aniversário da marca M da BMW – na primeira fase da prova, antes de Redding acabar por perder posições para os dois pilotos da Honda e Alex Lowes. Lowes terminaria em sétimo e Redding em oitavo.

Michael Ruben Rinaldi terminou em nono só tendo conseguido progredir na classificação já na fase final da corrida. O piloto terminou cerca de um segundo atrás de seu ex-companheiro de equipa e um segundo à frente de Loris Baz, que fechou o Top 10 terminando como o Melhor Piloto Independente na Corrida 1.

Artigo anteriorO regresso do trial
Próximo artigoRea ao ‘cair do pano’ no Estoril