Romeu Leite ‘dobra’ no Estoril

Romeu Leite fez o pleno no Circuito do Estoril

128

Romão Leite foi dos poucos a conseguir o pleno na jornada do Motor Clube do Estoril, mas o feito não foi de fácil conquista.

A conquista da pole position é um bom presságio para quando chega a altura da corrida e uma mostra do nível de adaptação de máquina e piloto à pista em que se está a competir, mas não é garante de vitória. Foi isso mesmo que se viu nesta tarde de domingo na segunda corrida das Superbike no CNV Estoril 2, com Romão Leite a garantir a pole, como ontem, e a vitória mas, e ao contrário de sábado, só após grande luta com Tiago Morgado.

Foi muito claro desde o início que este segundo embate do fim-de-semana entre os homens da categoria rainha nacional não seria igual ao de sábado. A começar log pelo facto de Rego fazer uma partida muito melhor e assumir a liderança ao apagar das luzes. Enquanto isso, Morgado repetia a partida canhão de ontem para saltar, de novo, de quarto para segundo.

A partir daqui podia pensar-se que, sem ter de levar a cabo uma recuperação como a de ontem, Rego se isolaria na frente do pelotão, mas tal não podia estar mais longe da verdade. Morgado mostrou-se muito competitivo com a sua Yamaha, ao ponto mesmo de reclamar para si a liderança da corrida à segunda volta.

Rego, com os olhos postos no triunfo, não tardou a responder e a recuperar a primeira posição logo na volta seguinte. A partir desse momento os dois pilotos mantiveram as posições durante grande parte da corrida, não se separando nunca mais que 0,9s. Mas com o aproximar do final, Morgado começou a aumentar o ritmo e a colar-se a Leite para o passar à 12a volta.

Morgado ainda conseguiu parca vantagem na frente do pelotão, mas Leite nunca baixou os braços. Mesmo ao cair do pano, já quase sobre a linha de meta na última volta, mostrou o motivo pelo qual é o Campeão em título e o novo líder da tabela classificativa, reclamando para si a quarta vitória da época e assegurando o pleno nesta segunda visita ao Circuito Estoril por meros 0,029s de vantagem.

Enquanto isso, atrás deles Vítor Barros levava a terceira Yamaha ao pódio, mas só depois de duelo muito renhido com Tiago Cleto. Cleto, que ontem se viu forçado a abandonar, apresentou-se mais forte este domingo e após uma breve recuperação de sétimo a quarto na primeira metade da corrida, saltou para o pódio onde rodou em terceiro durante oito voltas.

Contudo, Barros, que se viu surpreendido por Cleto na sétima volta, altura em que ambos trocaram de posições, não se esqueceu da surpresa e guardou a sua para o final. Depois de duas voltas um pouco mais lentas, em que cedeu perto de um segundo para o rival, Barros colou-se à roda de Cleto e foi gerindo até à última volta, momento em que desferiu a estocada final e reclamou para si o mais baixo do pódio por pouco mais de dois décimos de segundo.

Já no que toca às Superstock 600, vitória tranquila para Pedro Fragoso, com mais de 20 segundos de vantagem sobre Marco Díaz, enquanto o último lugar do pódio ficou nas mãos de Gonçalo Ribeiro, quase a 40 segundos da frente.

Artigo anteriorÀ terceira foi de vez…e Martim Marco venceu
Próximo artigoCNMX Jogos Santa Casa: Campeões 2022 na Moçarria