À terceira foi de vez…e Martim Marco venceu

Numa corrida marcada por incidentes...venceu Martim Marco

107

Arranque da Corrida 2 da Pré Moto3 e Supersport 300 marcada por três quedas, duas Bandeiras Vermelhas, três partidas e um incidente.

Não foi fácil arrancar para a segunda corrida da Pré Moto3 e Supersport 300, a última deste CNV Estoril 2, terceira jornada do Campeonato Nacional de Velocidade que trouxe ao Circuito Estoril mais de 80 pilotos.

A primeira tentativa de corrida, na altura com 14 voltas, foi interrompida na sequência da queda de Rui Afonso na Parabólica, no final da primeira volta. O aparato obrigou à apresentação da Bandeira Vermelha para uma segura remoção do piloto e moto da escapatória.

Nesse mesmo momento, um incidente entre Dinis Borges e Tomás Alonso, já quase na linha de meta, levou a uma investigação por parte da Direção de Prova que pode muito bem vir a resultar em alterações na classificação final.

Alguns minutos volvidos, pilotos e máquinas voltaram à grelha de partida para a segunda tentativa, para uma corrida com menos uma volta. A partida foi limpa, tal como da primeira vez, mas agora o acidente surgiu logo na Curva VIP, com Afonso Almeida a perder o controlo da moto e a arrastar consigo Alonso. Com a Bandeira Vermelha apresentada, Almeida foi retirado da pista de ambulância para ser transportado para o Centro Médico do Circuito onde, felizmente, foi apenas considerado inapto para correr.

Foi então que, finalmente, teve lugar a terceira e decisiva partida para a corrida, que acabou por contar com um total de 12 voltas. Sem mais incidentes, e com o vencedor de ontem fora de ação, Martim Marco rodou para a terceira vitória da época, isto depois de ter sido segundo no sábado. Um resultado que se torna ainda mais importante quando se tem em conta que, após todas as peripécias dos dois arranques da corrida, Marco foi o único a terminar entre os pilotos da Pré Moto3, já que também Gabriele Masarati, que ontem foi terceiro, não logrou chegar ao final.

Assim, a completar o pódio acabaram por ficar os dois primeiros das Supersport 300, com Tomás Alonso à frente de Dinis Borges por pouco mais de três segundos. Contudo, com ambos a terem de ser ouvidos pela Direção de Prova na sequência do incidente entre os dois na primeira volta, após a primeira partida para a corrida, o resultado pode vir a sofrer alterações. Isaac Rosa e Rafael Damásio, quarto e quinto a passarem a meta respectivamente, são os que aguardam com mais antecipação pela decisão dado que podem ver-se promovidos ao pódio.

Artigo anteriorRego vinga-se e assegura triunfo na Copa Dunlop Motoval
Próximo artigoRomeu Leite ‘dobra’ no Estoril