CNMX Jogos Santa Casa: Títulos decidiram-se na Catedral

Águeda acolheu a derradeira e decisiva ronda do campeonato.

268

Sem mundial mas com todo o empenho e profissionalismo como se uma prova de mundial se tratasse o ACTIB de Águeda recebeu no fantástico palco do Crossódromo Internacional de Águeda a derradeira e decisiva ronda do campeonato nacional de MX 2020.

Em dia de calor e com a pista impecavelmente preparada para receber pilotos e equipas, os anfitriões ajudaram assim a encerrar da melhor forma um campeonato condicionado pelas restrições sanitárias e pela ausência de público a acompanhar a competição, que este ano teve pela primeira vez honras de transmissão via ‘streaming’ no Youtube.

Com apenas um título atribuido – o de MX1 – as mangas realizadas na ‘Catedral do Motocross’ nacional coroaram os campeões nacionais 2020 em todas as restantes categorias, num dia onde a presença de Hugo Basaúla em pista trouxe de volta toda a excelência do motocross o ex-campeão nacional.

Nas 65cc Rodrigo Barros, Vasco Salgado e Bernardo Pinto cruzaram sempre por esta ordem a linha de meta, confirmando assim qualquer um deles as suas posições no campeonato, precisamente as mesmas que fecharam os duelos na fantástica e especial terra vermelha de Águeda. Nas 85cc Sandro Lobo dobrou as vitórias sempre face a Martim Espinho e Ruben Ribeiro e foram também eles os três primeiros do campeonato replicando a ordem estabelecida nas 65cc.

Uma das lutas mais esperadas era aquela que opunha Luis Outeiro  Renato Silva pela primazia e título nas MX2. Outeiro venceu ambas as corridas face ao rival e Fábio Costa e na contabilidade do campeonato foi naturalmente Outeiro a sagrar-se campeão nacional com curtos mas preciosos seis pontos de vantagem sobre Renato Silva. Fábio Costa foi o vencedor nas 2 Tempos e nos Júniores sendo também terceiro classificado no campeonato.

Em MX1 as vitórias em Águeda foram divididas entre Hugo Basaúla e Sandro Peixe, com este a vencer também na Elite face a Luis Outeiro depois de liderar todas as voltas da corrida. Hugo Basaula foi segundo nas primeiras três voltas, sendo então passado por Outeiro e Renato Silva na mesma volta, momento em que as posições dos cinco primeiros se definiram, com Bruno Charrua em quinto.

O campeonato fechou assim da melhor forma, com uma pista fantástica a ser também protagonista de uma campeonato que contou com quatro provas num ano inesperado e inédito, mas que acabou por se realizar graças ao esforço conjunto de pilotos, equipas e organizações.