3º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road: A grande aventura ambiental

179


Primeiro passo do compromisso assumido pela Federação de Motociclismo de Portugal na ajuda à reflorestação das áreas ardidas, não só durante os últimos meses como em anos recentes, a plantação de um carvalho-negral e uma cerejeira-brava em Vila Pouca de Aguiar marca o arranque de campanha que acompanhará o 3.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road. Cerimónia agendada para dia 20 de setembro, quarta-feira, às 15 horas, na Praça João Paulo II, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, e do presidente da Federação de Motociclismo de Portugal, Manuel Marinheiro.

Iniciativa singular, que prosseguirá ao final da tarde do mesmo dia, em Boticas, com plantação de um castanheiro e um carvalho-negral, e que consiste na plantação de jovens árvores autóctones de oito dos concelhos atravessados pelo 3º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road (Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Belmonte, Covilhã, Góis, Pedrógão Grande, Mação e Silves), evento que, de 20 a 23 de setembro, une Boticas a Lagoa. Passeio sem qualquer carácter competitivo na ligação de duas extremidades do mapa nacional, com paragem em Belmonte e Arraiolos, através de caminhos de terra batida na descoberta do mais encantador e desconhecido património paisagístico e natural de Portugal. E que, pela enorme proximidade com as paisagens devastadas aliada ao sentimento de respeito e proteção ambiental, sente ainda mais de perto o drama ambiental causado pelas chamas.
Escolha criteriosa das árvores a plantar, assente na pesquisa sobre as características de cada região, cuidadosamente estudada para potenciar a fertilidade do espaço rural e equilíbrio ecológico das paisagens, funcionando ainda como salvaguarda de importantes locais de abrigo, alimento e reprodução de grande número de espécies animais da fauna portuguesa, algumas delas em vias de extinção.
Campanha de solidariedade para com as populações afetadas, que, depois, em altura mais própria para a sua plantação, entregará algumas centenas de árvores aos munícipes de cada concelho, apoiando e acompanhando de perto o ressurgimento ecológico de cada local. Na esperança de que, populações e futuros visitantes, possam tirar partido da melhoria ambiental esperada ao longo do percurso da grande aventura fora de estrada que liga, ao longo de três etapas e 1000 quilómetros, dois extremos do mapa nacional através de caminhos menos conhecidos. Com etapas a rondar os 300 km diários e índice de dificuldade bastante acessível, sem grandes complicações de condução ou obstáculos de difícil transposição, está aberto a motos ‘trail’ de todas as dimensões e cilindradas, marcas e modelos.