O passeio de todos os campeões

Portugal de Lés-a-Lés Off-Road arranca de Penafiel em defesa da floresta nacional

2653

São dezenas de títulos nacionais nas mais diversas modalidades e muitas as vitórias em palcos mundiais que ressaltam na recheada lista de participantes no 8.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road. Que longe de ser uma competição é, tão somente, um passeio mototurístico que vai ligar, até dia 4, quarta-feira, Penafiel a Portimão, com paragens na Figueira da Foz e Estremoz. Cerca de 900 quilómetros por alguns dos mais bonitos trilhos em fora de estrada, entre vinhas e olivais, soutos e carvalhais, por serras e vales. Ex-pilotos que não resistem, a cada ano, ao desafio lançado pela Federação de Portugal de Motociclismo para juntarem-se a centenas de outros motociclistas num evento turístico que oferece uma oportunidade única de descobrir o nosso País fora dos trajetos convencionais.

E essa é mesmo a grande motivação de ‘Kees’ van der Ven, um neerlandês que foi uma das grandes figuras do motocross mundial nas décadas de 1980 e ’90. Nascido em Bakel, uma pequena vila no sul dos Países Baixos, a poucos quilómetros de Eindhoven, van der Ven, mudou-se em 2015 para Louriçal, uma vila no concelho de Pombal com dimensão semelhante à sua terra natal. “Poder andar de moto no monte com mais facilidade foi um dos principais motivos da mudança, além de Portugal ter bom tempo, boa comida e muito sol”. Mas para o senhor Cornelius Egidius Maria van der Ven esta será, aos 66 anos, uma oportunidade única para conhecer o País de uma forma diferente.

Com 17 triunfos em provas do Mundial de Motocrosse de 125, 250 e 500 cc, terminou por 6 vezes entre os três primeiros do Campeonato do Mundo das três classes e ganhou em cinco ocasiões a mais mítica corrida em pisos de areia, o Enduro de Le Touquet. Tamanho palmarés que, para lá da experiência de condução, de pouco contará para o Portugal de Lés-a-Lés Off-Road. “O primeiro objetivo é mesmo a diversão com um grupo de amigos, incluindo o Gilberto (Jordão) que deu a conhecer este evento e desafiou-me para estar presente. Quanto ao resto, do percurso ou paisagens não sei o que esperar”.

 

Muita água na bagagem e árvores para reflorestar Portugal

 

Claro que poderia sempre pedir umas dicas aos laureados Paulo Marques, Miguel Farrajota, António Oliveira ou Bernardo Villar, participantes assíduos da grande travessia do mapa nacional por estradões de terra batida, travessias a vau e alguns caminhos de cabras. Pilotos de renome, todos com muitos títulos nacionais, que marcaram presença nas Verificações Técnicas, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Penafiel, espaço habituado a receber grandes eventos como é o caso da Agrival, uma das maiores e mais importantes feiras agrícolas do País. E de onde, amanhã bem cedo, começarão a partir as mais de 300 motos, organização incluída, rumo à Figueira da Foz, num dia que se prevê extremamente quente, com pisos duros e muito pó, com a Organização aconselhar os participantes à ingestão de muita água.

Primeira etapa que vai terminar na marginal figueirense (Av. de Espanha) mesmo junto ao Forte de Santa Catarina, a partir do meio da tarde. Antes disso, porém, por voltas das 11.30 h., tempo para dar continuidade à 5.ª campanha Reflorestar Portugal de Lés-a-Lés, com a plantação de dois carvalhos na Escola EB 1 das Abadias, em cerimónia que contará com o apoio de mais de 70 alunos do 3.º e 4.º ciclos. Iniciativa que visa alertar para a necessidade de revitalização da floresta portuguesa, extremamente flagelada pelos fogos nos últimos anos. Ação de sensibilização que se diferencia pela aposta em reabilitar a floresta da forma mais correta e equilibrada, oferecendo espécies autóctones às populações dos locais por onde passa a caravana dos aventureiros mototuristas.

 

Solidariedade de Portugal até à Gâmbia

 

Mas houve outro campeão que deu nas vistas em Penafiel, enquadrado pela exposição comemorativa dos 40 anos de um nome mítico do todo-o-terreno: a Yamaha Ténéré. Pol Tarrés é piloto de trial e hard-enduro, famoso pela participação em competições por esse mundo fora aos comandos de uma ‘big-trail’, incluindo alguns dos mais duros eventos mundiais. Com fama redobrada pelos inúmeros vídeos onde mostra como ‘brincar’ com uma máquina de enduro de 200 kg, o sobrinho do mítico Jordi Tarrés, sete vezes campeão do Mundo de Trial, está evento da Federação de Motociclismo de Portugal, a convite da Yamaha Motor Portugal. E se no dia das Verificações Técnicas limitou-se a assinar autógrafos, tirar fotografias e conversar com os muitos fãs, maior responsabilidade terá na terça-feira, no Oásis da Yamaha em Tomar, onde assinará e procederá à entrega de uma moto muito especial.

Trata-se de uma exclusiva Yamaha Ténéré 700 World Rally, recheada de acessórios, cuja receita do leilão reverte integralmente a favor do programa Riders for Health Gâmbia. Máquina decorada como a primeira moto utilizada em competição pelo espanhol e, além da assinatura personalizada do piloto, conta com saída de escape Akrapovič, assento plano de 2 peças tipo rali, proteções das carenagens laterais em borracha, guarda-lamas elevado, apropriado para utilização fora de estrada, proteções de radiador, cárter e corrente. Ação solidária que apoia a manutenção da frota de motos utilizada para distribuir artigos de prevenção essenciais, tais como redes mosquiteiras para a prevenção da malária, além de permitirem a abertura regular de clínicas de vacinação contra várias doenças.

Artigo anteriorCNV Estoril: Calor, Emoção e Campeões
Próximo artigoPor serras nunca dantes navegadas