MC Porto chega aos 25 Moto-Ralis Turísticos!

130

O Moto Clube do Porto está de parabéns pois foi o primeiro clube a atingir a 25ª edição do seu Moto-Rali Turístico, ele que foi o pioneiro em Portugal – e no Mundo, que se saiba – desta tão peculiar e cultural forma de dar a descobrir ao pormenor uma região.

Tal aconteceu a 26 e 27 de Abril, curiosamente uma 6ª feira e Sábado, no concelho de Santa Comba Dão, com umas saltadas a concelhos vizinhos. Foi a primeira jornada das seis que compõem o 23º Troféu Nacional de Moto-Ralis Turísticos BMW/Dunlop da FMP 2019 e participado por 87 mototuristas em 59 motos, oriundos de todo o país. E a ideia com que ficamos é que há pormenores com muita piada por aquelas bandas, terras de gentes e autarcas de uma hospitalidade acima da média.

Bem sediados no Montebelo Lake Resort da Aguieira, os mototuristas percorreram quase todas as estradas do concelho de Santa Comba Dão, conhecida por ser a terra natal de António Oliveira Salazar. Irónicamente também vizinha de Cabanas de Viriato, em Carregal do Sal, onde visitamos a casa de Aristides de Sousa Mendes, diplomata que salvou da morte certa milhares de judeus europeus e que pelo seu esforço foi castigado pelo Presidente do Conselho, morrendo na miséria. Mas políticas à parte, a passeata foi óptima, organizada por uma equipa experiente e muito divertida, e que com cerca de 160 quilómetros rolou nas bacias dos rios Dão e Cris, subiu ao Caramulo e visitou muitas aldeias, lugares e detalhes interessantes.

Esta região centro, do distrito de Viseu, foi assolada há umas décadas pela plantação em massa de eucaliptos, que se juntaram assim às enormes plantações de pinheiro bravo. E o resultado está agora à vista. Um deserto semi verde, de exóticas, onde as acácias vão ganhando terreno desmesuradamente e onde árvores ardidas povoam constantemente o panorama. Praticamente já só se veem réstias de carvalhal e vegetação autóctone no cimo do Caramulo, em algumas margens dos rios e a sombrear a Ecopista do Dão, uma grande obra de três municípios e onde tivemos o privilégio de rolar um pouco.

Felizmente não arderam os bonitos solares e casas de granito, para nosso consolo, que assim podemos continuar a apreciar a arquitectura imponente e altiva da região.

O MC Porto mostrou-nos ainda uma novidade nos moto-ralis turísticos: um aterro sanitário, neste caso onde se separam os muitos milhares de toneladas de lixo do distrito. Impressionante e sensibilizador para o nosso esforço constante de separação dos lixos domésticos e industriais.

Outra novidade foi o ‘Exame da 4ª Classe’ (onde a maioria chumbou) e o recital pela juventude da Filarmónica Fraternidade de S. João de Areias, jovens que já tinham dado música no Lés-a-Lés 2016, devido ao entusiasmo de Sérgio Tavares, mototurista local que moveu mais de meio mundo para que este moto-rali turístico não tivesse uma única porta fechada! Tivemos ainda que obter um visto para conhecer a casa do tal herói Aristides de Sousa Mendes e, no lugar oposto, também visitámos a campa de Salazar.

E já que se fala em heróis, ficamos de boca aberta por termos a entregar os prémios, nada mais, nada menos, que Carlos Lopes, vencedor da Maratona Oliímpica de 1984, em Los Ângeles! E esta, hein?

E a admiração continuou à noite, ao vermos o Senhor Padre Pedro Leitão, participante numa prazenteira Chopper 125, a pousar o capacete, a sacar da guitarra e, juntamente com outros motociclistas bonacheirões, a brindar-nos com grandes rockadas! Muito bom! Nem o saxofone faltou!

Destacamos a hospitalidade, uma vez mais, das gentes e dos autarcas. O Presidente da Câmara, Leonel Gouveia, é motociclista. O seu vice também. Os vários presidentes das Juntas poderão não ser, mas todos juntos foram extremamente generosos e entusiastas para nos mostrar o concelho. Agradecimento que se estende às populações de Tondela, Mortágua e Carregal do Sal, brindadas também com a cor e alegria deste moto-rali turístico que relembrou a primeira edição, em 1992. Na altura um evento muito mais minimalista mas revolucionário à época. E que com a união a outros motoclubes nacionais, se tornou num requintado, fantástico e salutar troféu do mais mototurístico que pode haver.

Os mais certinhos e direitinhos acabaram por ser o jovem casal que rola em duas Royal Enfield Himalayan, a Vera Santos e João Dias, leirienses do MC Porto, seguidos do Rui Girão, dos Motards do Ocidente, clube que será já o próximo organizador, levando este circo para Vila Velha de Ródão, a 11 e 12 Maio. http://motardsdoocidente.pt/event/24-o-moto-rali-motards-do-ocidente

Vamos nessa!

GALERIA DE FOTOS