Moto-Rali mais a norte não há

Os Moto-Galos mostraram mais uma vez a sua reconhecida hospitalidade.

133

Onde se rola entre vacas cachenas, penedas descomunais, bosques frondosos, pontes medievais e vinhas de Alvarinho? Acertaram: Melgaço! E foi aqui, onde ‘Norte mais norte não há’ que os Moto Galos de Barcelos proporcionaram grande fim de semana mototurístico. Tudo num bem concebido 18º Moto-rali Turístico desta associação minhota, que a 14 e 15 de Setembro cativaram 31 equipas de todo o país a arregalarem os olhos pelos recantos do concelho mais setentrional de Portugal.

No total, 50 mototuristas de seis motoclubes, juntaram-se à alegre equipa organizadora e divertiram-se nesta 4ª jornada do Troféu Dunlop/BMW 2019 que a FMP tanto gosto tem em promover. É que não há mais descoberta que num moto-rali turístico. Sem tempos mortos e sem se rolar em caravana, os motociclistas andam de pestana bem mais aberta. E Melgaço tem tanto para dar!

Com 140 km no total, os percursos começaram por dar a conhecer a sede de concelho, surpreendendo com o Museu do Cinema de Jean Loup Passek e uma saborosa – a primeira de muitas – prova de Vinho Alvarinho no seu Solar.

E depois foi um consolo sempre a subir para as montanhas, que por aqui os carvalhais ainda abundam, com visitas aos mosteiros românicos de Paderne e Fiães, testemunhar a recuperação fantástica de aldeias como a Branda da Aveleira ou Lugar de Pontes, uma pérola perto da fronteira da Ameijoeira. Ora fora, ora dentro do nosso único Parque Nacional, os participantes constataram que esta deve ser a região do país com mais pontes medievais e romanas por km2… Aparecem-nos de ambos os lados, pequeninas ou maiores, vencendo bonitos ribeiros de águas límpidas, onde se pode beber a água em que nos banhamos. Entretanto, o gado vai mantendo os condutores em respeito. Os longos cornos a deambular pelas bermas ficam bem nas fotos mas não convém facilitar… E depois há as brincadeiras dos moto-ralis turísticos. Neste caso, sentir a sensação de se ser um músico de banda num coreto ou fisgar um guarda fiscal. Porque ninguém gosta de guardas?

E já que se fala disto, curiosamente, os Moto Galos levaram-nos a um ponto mítico do país. O local mais a norte de Portugal, onde o Rio Minho toca em território nacional e, escondido entre cerejeiras-bravas, sobressai o marco fronteiriço nº1! Sítio recôndito, de acesso manhoso, a norte de S. Gregório e por onde muitos emigrantes passaram o afluente Trancoso a salto, procurando vida melhor,

Muito obrigado ao Município de Melgaço pelo apoio dado à organização (principalmente a dar dicas de percurso), abrindo portas e proporcionando excelentes momentos. Obrigado também à Quinta de Soalheiro, às juntas de Freguesia e a todos os que nos receberam com uma simpatia genuína e mesa farta. Lá se foi a dieta. Principalmente no Restaurante O Brandeiro. Que excelente surpresa, lá no cimo da serra, a mais de 1100 metros de altitude, na Branda da Aveleira!

Ao almoço de domingo, já no calor das margens do Minho, a entrega de prémios coroou os casais Filipe Torres e Filomena Portela e o Manuel e Cidália Figueiredo, ambos dos Moto Galos, no 1º e 2º lugar, respectivamente. O pódio ficou completo com Miguel e Paula Fortunato, do ressuscitado Moto Clube de Coimbra, clube que irá organizar a próxima jornada do troféu, na Cidade dos Estudantes, a 5 e 6 de outubro. Inscrições para José Valença pelo 968 925 969. Lá estaremos!

Cartaz e ficha de inscrição em: www.esfera.pt/motoclubeCoimbra/

Fotos de alguns dos momentos do evento (obrigado, Sérgio Vilaça): https://photos.app.goo.gl/D46NFRMYLTQ5pS1TA