CNE – CFL: Diogo Ventura vence em Tábua

Tábua recebeu pela primeira vez uma prova do campeonato nacional de enduro.

861

Em estreia absoluta nos trilhos de Tábua o campeonato nacional de enduro iniciou este Domingo a temporada 2022. Em estreia absoluta na disciplina – anteriormente o Enduro Sprint já aqui tinha passado – o MK Makinas desenhou uma corrida adequada ao arranque de época com meia centena de quilómetros de percurso e três bem delineadas especiais que se revelaram palco de intensa luta pelas primeiras posições tanto na classificação absoluta como nas diversas classes que dividem o pelotão do campeonato que concentrou desta feita cerca de duas centenas de pilotos.

Divididos pelas duas habituais classes foram 11 os pilotos que marcaram presença na Elite. Novidades não faltaram igualmente, com sendo notada a escolha de uma moto com motor a quatro-temos de Diogo Ventura, que o colocou mesmo na Elite 2 ao invés da anterior Elite 1. Sentido igualmente o regresso de Henrique Nogueira, seis anos depois da sua última corrida no campeonato, a estreia do açoreano Abel Carreiro na classe maior do campeonato e também a presença de Morgan Lesiardo, piloto italiano que depois dos mundiais de motocross vai agora se dedicar ao mundial de enduro e participará igualmente ao que tudo indica no campeonato nacional.

Outros nomes sonantes da disciplina em Portugal estiveram em Tábua, como Luis Oliveira, de novo com a Yamaha e totalmente recuperado da lesão que condicionou os últimos três anos do piloto de Belas, Paulo Felicia trocou a AJP por uma KTM, Manuel Teixeira defende as cores da recém chegada Fantic e Ricardo Wilson está agora com a TM. Gonçalo Reis, Renato Silva e Gonçalo Sobrosa mantiveram as suas anteriores cores, Gas Gas para o primeiro e Beta para os restantes.

A corrida em si foi claramente dividida em duas partes. Diogo Ventura entrou decidido e venceu de ‘rajada’ a quatro primeiras especiais para garantir uma vantagem de pouco menos de 30 segundos sobre Luis Oliveira que conseguiu quebrar as vitórias do campeão em título na quinta das onze especiais. Ventura venceu novamente na sexta especial – a segunda passagem pela Cross-Test – mas depois foi sempre Luis Oliveira a mostrar rapidez superior na paragem do cronómetro. O piloto da Yamaha venceu as derradeiras cinco especiais e dominou a segunda metade da corrida mas anulou apenas metade dos segundos perdidos para Ventura nas primeiras especiais e assim fechou este arranque de campeonato no segundo posto a quinze segundos de Ventura, o vencedor nesta primeira ronda do ano.

O degrau mais baixo do pódio ficou decidido apenas na derradeira especial quando Gonçalo Reis conseguiu ganhar cerca de seis segundos para Paulo Felicia e subiu ao pódio na frente do rival e Morgan Lesiardo. Luis Oliveira foi o vencedor em Elite 1 e Diogo Ventura em Elite 2.

Na Open o dia foi igualmente animado e no final foi Pedro Garcia quem venceu na frente de Frederico Rocha e João Moura, com a vitória na Open 1 a ser de Garcia e o primeiro lugar na Open 2 a ser conquistado por João Moura. Fábio Costa ‘esqueceu’ por momentos o motocross e estreou-se no enduro para vencer nos Verdes em termos absolutos, batendo Nuno Pereira e Ruben Bandeira na luta pelo primeiro lugar. Costa foi o vencedor na Verdes 1, Pereira na Verdes 2 e na Verdes 3 foi Bruno Freitas quem subiu ao degrau mais alto do pódio. Nas Senhoras foi sentida a ausência da campeã Joana Gonçalves devido a lesão e quem venceu após uma fase inicial mais intensa e animada foi Rita Vieira, com Bruna Antunes a ser a segunda na frente da estreante Mariana Afonso, piloto que habitualmente participa no campeonato nacional e espanhol de trial. Paulo Miranda continua ‘dono e senhor’ entre os Super Veteranos e na Promoção venceu Rafael Ferrão.

A próxima ronda do campeonato será dupla – dois dias de competição – e irá levar a caravana de regresso aos Açores nos dias 12 e 13 de Março.

Artigo anteriorCalendário CNMX Jogos Santa Casa actualizado
Próximo artigoAntónio Maio repete triunfo na Baja TT Montes Alentejanos