Lés-a-Lés abre inscrições a 15 de Março

A Nacional 2 será o cenário de mais uma edição, a 23ª, do Portugal Lés-a-Lés.

1834

A cidade de partida para a 23ª edição já era conhecida desde que, em outubro, lá terminou o 22º Portugal de Lés-a-Lés. De Chaves, soube-se pouco depois, o rumo seria a sul com destino a Faro. E pelo meio, anunciou a Federação de Motociclismo de Portugal, estaria “muito mais que a N2” naquela que é a primeira maratona temática, dedicada à primeira espinha dorsal do sistema viário do nosso País. De 2 a 5 de Junho, tempo para atravessar Portugal Continental à moda antiga, sem tocar em auto-estradas, SCTU’s, itinerários Principais ou outras marcas de modernidade rodoviária, e para descobrir praias fluviais, castelos, parques, montanhas, miradouros, monumentos, locais de batalhas e centros históricos dos 35 municípios interligados por esta estrada, antiga, é certo, mas mais atual do que nunca.

Aos 738,5 quilómetros que ligam Chaves a Faro, a Comissão de Mototurismo da FMP vai acrescentar mais alguns (cerca de 200) num percurso que será desvendado com mais pormenor no domingo, dia 14 de Março, a partir das 11 horas, através dos canais digitais da FMP (YouTube ou Facebook) bem como na página oficial do Lés-a-Lés no Facebook. Oportunidade para ficar a conhecer as ‘cidades-etapa’ bem como algumas das muitas paragens em locais realmente únicos, alguns descobertos durante o reconhecimento efetuado no final de fevereiro.

Sim, porque esta aventura mototurística está longe de ser mais um passeio pela estrada da moda. Uma descoberta única, apoiada pela Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 e com os patrocínios da BMW Motorrad Portugal, BP, Viagens Abreu, NEXX, Via Verde e Dunlop, naquela que é a maior maratona motociclística em toda a Europa. E que terá inscrições abertas a partir do dia seguinte à apresentação, 15 de Março, através dos canais habituais, no site site oficial do Lés-a-Lés ou, presencialmente na sede da Federação, e até 15 de Maio. Isto se, entretanto, não for atingido o limite de 2000 motociclistas! O que, atendendo à enorme vontade de voltar a andar de moto, não deverá demorar muito…