CNE – CFL: Rui Gonçalves bisou no Douro

Rui Gonçalves foi o vencedor em ambos os dias da prova do Peso da Régua.

809

Penalizado na ronda inaugural do campeonato nacional de enduro e por isso fora do primeiro posto final apesar de ter sido o piloto que mais especiais venceu, Rui Gonçalves ‘vingou-se’ este fim‑de‑semana na segunda prova do calendário 2020 do campeonato da especialidade e levou de vencida ambos os dias de prova.

Com 173 pilotos na linha de partida a oitava edição do Enduro Rotas do Douro levou os pilotos até aos socalcos vinhateiros e margens do rio que deu o nome à prova com centro nevrálgico no Peso da Régua, região que mais uma vez se mostrou como perfeita para receber a caravana para uma dupla jornada de intensa competição.

Com quatro especiais por volta o primeiro comandante no dia inaugural foi Diogo Ventura, posição que segurou até ao início da segunda volta quando duas quedas, e depois os raios da roda dianteira da sua moto, o colocaram na quinta posição. Rui Gonçalves saltou então três lugares e subiu a primeiro, onde esteve durante toda a segunda volta. No início da terceira foi Gonçalo Reis quem subiu à liderança para a perder na terceira Extreme novamente para Rui Gonçalves, que não mais largou a primeira posição num dia onde cinco pilotos venceram especiais, sendo Rui Gonçalves mais uma vez o piloto que mais especiais venceu, com um total de cinco em 12  possíveis.

No segundo dia de competição foram novamente cinco os pilotos que venceram nas especiais, mas desta feita foi Hugo Basaula aquele que mais vezes ganhou (4). Vencedor na ronda inaugural do campeonato, Basaula não conseguiu no entanto segurar Rui Gonçalves, que assumiu o comando por troca com Basaula na segunda volta e não mais o perdeu até ao final das 12 especiais.

Basaula foi assim segundo na frente de Diogo Ventura, que venceu a classe E1, ganha no primeiro dia por Gonçalo Reis. Rui Gonçalves venceu em ambos os dias a geral e a classe E2. Entre o pelotão dos pilotos Open a vitória na Open 1 no dia inaugural foi para Rodrigo Belchior, o mesmo conseguindo o regressado João Ribeiro na Open 2, ele que no entanto não tem nos seus planos a participação na totalidade do campeonato. No segundo dia Rodrigo Belchior repetiu a dose na Open 1 enquanto que na Open 2 foi outro piloto com ‘escola’ no Trial – João Ribeiro foi campeão nacional na disciplina – a vencer, neste caso Ricardo Damil.

A Régua trouxe assim um novo vencedor ao campeonato nacional num ano onde as diferenças especial a especial são muitos curtas e onde todos os segundos perdidos podem ser impossíveis de recuperar. A próxima ronda, a terceira do ano, será novamente apenas discutida num dia de prova e serão os trilhos de Góis a ‘decidir’ se o campeonato verá um terceiro piloto a vencer no dia 8 de Março. No dia anterior realizar-se-á a segunda prova do campeonato nacional Mini-Enduro.

RESULTADOS COMPLETOS