CNV aquece asfalto no Estoril

O Circuito do Estoril recebe mais um animado fim‑de‑semana de motociclismo, agora com o CNV.

540

Com vitórias divididas nas duas primeiras rondas do campeonato nacional entre Miguel Oliveira e Ivo Lopes, a temporada continua já no próximo fim-de-semana com a realização da terceira prova do ano. Ainda com o asfalto quente após a passagem do FIM CEV pelos seus 4182 metros o traçado junto a Cascais recebe novamente a caravana lusa para serem discutidos os terceiros pódios da temporada, excepção feita às Superbike que realizam aqui a quinta e sexta corrida do ano, tal como os troféus (Motoval, ZCup, Tuono e TLC).

Com as bancadas ainda fechadas de modo a cumprir as restrições sanitárias em vigor, o acesso ao ‘paddock’ continuará igualmente a ser restrito e de acordo com os parâmetros anteriormente utilizados tanto no CNV como no FIM CEV merecedores de rasgados elogios e adopção de medidas por parte da própria Dorna, o promotor do competitivo FIM CEV.

A categoria rainha será mais uma vez alvo de atenção especial pois apenas seis pontos separam os dois primeiros classificados, com vantagem para Pedro Nuno que procura igualmente a primeira vitória do ano naquela que será a derradeira etapa da primeira metade do ano. Ivo Lopes persegue o rival e depois da pontuação máxima conseguida em Portimão poderá mesmo no Estoril subir ao comando do campeonato…mas para o fazer terá que bater o líder da caravana. Fruto das duas vitórias conseguidas no Estoril Miguel Oliveira é ainda terceiro no campeonato mas de forma temporária pois seguramente que no final do fim-de-semana teremos um novo terceiro classificado. Nas Superstock 600 o campeonato está dividido entre Jaime Coelho e Dani Trelles. O primeiro venceu no Estoril e o segundo em Portimão, sendo esta uma ronda de desempate numa discussão que tem para já apenas dois interessados.

Nas Supersport 300 não vão faltar motivos de interesse pois não só terá continuidade a luta pelas primeiras posições – quatro pontos separam os dois primeiros – e onde Pedro Fragoso e Tomás Alonso querem subir pela segunda vez ao degrau mais alto do pódio. Dinis Borges vai defender o terceiro posto e esquecer a corrida algarvia onde foi quinto depois do segundo lugar no primeiro duelo do ano – e estreia nas 300 – o mesmo se passando com Vasco Esturrado e Afonso Almeida que querem recuperar pontos para o pódio do campeonato. O pelotão deverá no entanto continuar a crescer pois são esperados mais nomes no cada vez mais aguerrido lote daquela que é a classe com maior crescimento em 2020.

Ivan Hernandez é o comandante nas Pré-Moto3, o mesmo se passando com Afonso Almeida nas 85GP/Moto4 e Martim Marco nas Moto5. Em pista vão igualmente estar as motos que competem nos diversos troféus que integram o CNV, desde as ZCup, passando pelas recém-chegadas Aprilia Tuono e pelas máquinas do Troféu ENI – Taça Luis Carreira.