Tomás Alonso venceu no Estoril

As Supersport 300 estiveram no Circuito do Estoril junto com as Superbike.

462

Dividindo o ‘paddock’ e a pista com o campeonato do mundo Superbike a caravana das Supersport 300 do CNV esteve no Circuito do Estoril para cumprir mais uma etapa do seu calendário 2021. Em ronda inédita foram duas as corridas discutidas no fim‑de‑semana, com Tomás Alonso a ser o vencedor em ambas, ele que foi igualmente o mais rápido aquando da qualificação.

Campeão nacional em título Alonso esteve num patamar superior ao longo de todo o fim‑de‑semana, assegurando a ‘pole-position’, vitória em ambas as corridas liderando todas as passagens sobre a linha de meta e a sua volta mais rápida valeu mesmo o novo recorde do circuito para a categoria.

As corridas de Alonso tiveram todas elas uma ‘estória’ muito semelhante, arrancando sempre da ‘pole’ para liderar todas as voltas aos 4182 metros da ‘casa’ que recebeu igualmente o mundial Superbike.

Na primeira corrida realizada a segunda posição foi assegurada desde o arranque por Madalena Simões que rapidamente descolou de um grupo perseguidor onde estiveram Afonso Almeida, o terceiro na qualificação, Dinis Borges e Guilherme Gomes, sendo que este caiu no final da recta da meta ainda antes de cumprida a primeira metade da corrida, deixando Almeida e Borges na luta até Almeida falhar a travagem no final da recta da meta e deixar o rival definitivamente isolado na terceira posição.

Na segunda corrida . marcada por uma queda de Guilherme Gomes no arranque – foi realizada já no Domingo e Tomás Alonso ‘disparou’ de novo para a frente. Mas desta feita teve a companhia de Rafael Damásio, que chegou mesmo a conseguir a ultrapassagem a Alonso antes de cumprir uma dupla ‘long lap’ em virtude de ter ‘queimado’ a partida. Alonso voltou assim a ficar sozinho, Damásio ficou em segundo e Dinis Borges isolado em terceiro depois de Afonso Almeida ter feito uma brilhante recuperação de sétimo no final da primeira volta para discutir o terceiro posto antes de cair na saída da Variante. Madalena Simões também caiu na Curva 3 quando era terceira e antes da bandeira de xadrêz foi igualmente Ivan Bolaño quem abandonou devido a uma queda no final da recta interior quando discutia o quarto posto com David Ferreira.

Junto com os pilotos dos mundiais Superbike e Supersport foram 17 aqueles que alinharam na prova do CNV, inédita em termos de formato e companhia no ‘paddock’. O campeonato realiza já no próximo fim‑de‑semana a sua segunda prova do ano, mas sem a presença das Supersport 300 depois desta corrida exclusiva para a categoria.