Altos e baixos dos lusos no Dakar

149

Com cinco etapas decorridas – metade da edição 2019 – o Dakar cumpriu hoje o seu dia de descanso em Arequipa, a sul de Lima onde a prova termina na próxima quinta-feira. As primeiras cinco etapas do Dakar foram de altos e baixos para os pilotos portugueses, ou que competem em Portugal, destacando-se a infelicidade de Hugo Lopes, piloto da Anadia radicado na Suiça que foi o primeiro abandono luso neste Dakar quando a sua moto deixou de colaborar no quarto dia de prova. No dia seguinte, a quinta etapa do Dakar 2019 e aquele que marcou o fecho da primeira metade da corrida, foi Paulo Gonçalves que abandono devido a uma queda num rude golpe para as aspirações lusas na 41ª edição do Dakar, a mais curta e compacta de sempre.

Com as cinco etapas já realizadas e no dia em que os sobreviventes cumpriram o já muito desejado dia de descanso, Mário Patrão é o melhor dos lusos na 21ª posição, cabendo a Joaquim Rodrigues a posição de segundo melhor luso na 28ª posição da geral. António Maio fechou a primeira semana de competição no 30º lugar da geral e em posição de destaque entre os estreantes do Dakar, classificação onde Sebastian Buhler também se destaca ao ocupar o 33º lugar da classificação conjunta. David Megre é o 44º classificado, Fausto Mota o 49º e Miguel Caetano o 88º.

O Dakar entra amanhã na sua segunda e decisiva metada, rumo a Lima onde na próxima quinta-feira terminar a 10ª e derradeira etapa e onde se saberá quem é o vencedor da 41ª edição da prova, sendo que neste momento os dois primeiros estão separados por escassos 59 segundos.